O Volkswagen Santana, como muitos de nós sabemos, foi um modelo criado a partir do Passat alemão e trazido para o Brasil como uma opção mais em conta e também mais com a cara do mercado brasileiro na época.

Devido ao grande sucesso por aqui, o VW Santana durou bem mais do que se esperava. Sua produção nacional começou em 1984, chegou a ser líder de vendas e referência na categoria. Durante sua longa jornada, o modelo teve atualizações exclusivas para o Brasil e acabou por sair de linha em 2006, dando espaço para modelos mais modernos.

Contudo, na China o modelo é até hoje um carro muito popular e a Volkswagen por lá decidiu manter o modelo (ou pelo menos o seu nome) até os dias de hoje. Vamos então dar uma breve resumida na história desse mito.

VW Santana 3000

O Santana 3000 foi a evolução do nosso último modelo nacional. Esse modelo recebia novo conjunto ótico, lanternas e para-choques redesenhados. O modelo foi produzido pela VW na China entre os anos de 2004 a 2008.

VW Santana 3000

VW Santana Vista

VW Santana Vista

Parece até nome de sistema operacional, mas essa foi a cartada da Volkswagen para dar novos ares ao Santana. Lançado em 2008, o Santana mostrava que queria se manter atualizado no quesito “identidade mundial” da marca. Com isso, o carro recebia nova frente, com a grade que nos lembra um pouco a do Fox, Gol G4 e até mesmo o Polo. Na traseira, lanternas passam a contar com elementos circulares. Por dentro, o carro recebia algumas peças com acabamento diferenciado, mas ainda era o nosso bom e velho Santana. Sua produção encerrou em 2012.

VW Santana Vista

VW New Santana

Em 2012 é apresentado um sedã completamente novo por dentro e por fora. O modelo deixa de ter sobrenomes esquisitos e ganha apenas prefixo “New”, o que faz total sentido, já que o novo sedã nada lembra as gerações anteriores. Trata-se de um modelo completamente novo e com o design bem semelhante aos modelos VW ao redor do mundo, inclusive a linha brasileira. Tanto é que existiram rumores que esse Santana voltaria ao mercado nacional com a saída do Polo sedã por aqui, o que não aconteceu.

VW New Santana

Ainda nessa mesma geração, o Santana volta a ter variações de carroceria. Ao longo da vida, o modelo foi conhecido por ser um sedã e no máximo uma perua, batizada aqui no Brasil de Quantum. Depois, o Santana teve uma versão chamada de Gran Santana, que é basicamente um hatchback esticado, quase uma perua. O desenho e o porte são interessantes, mas é na traseira que estão as maiores novidades em relação com sedã. As lanternas mesmo que lembram muito seu irmão, mas o desenho da tampa do porta-malas é bem recortado.

VW Gran Santana

E foi baseado nesse Gran Santana que a Volkswagen decidiu lançar um Cross Santana. Estranho para nós ouvir esse nome, mas essa é a identidade que a marca usa para seus “aventureiros”. As diferenças, assim como nos nossos Crossfox, CrossUp! e Saveiro Cross, são as mesmas. Conte com para-choques diferenciados, molduras em plástico preto nas caixas de rodas e suspensão elevada. Um detalhe, perceba como a grade do Cross Santana lembra muito a da nossa atual Saveiro Cross.

VW Cross Santana

Na China, o Cross Santana é oferecido com três diferentes motorizações. Começando por duas versões aspiradas, 1.4 de 90 cv (sempre com câmbio manual) e outra 1.6 de 105 cv (com opção de câmbio AISIN de 6 marchas). A topo de linha tem motor TSI 1.4 de 130 cv e pode receber câmbio DSG de dupla embreagem.

VW Cross Santana

Hoje, com a chegada da nova geração do Polo e do sedã Virtus, o Santana ou Gran Santana não teriam lugar na linha de produtos da Volkswagen do Brasil, mas não podemos deixar de frisar que seriam modelos interessantes e que até poderiam cair no gosto dos consumidores brasileiros.

VW Cross Santana

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Insira seu nome aqui