Como jornalista automotivo, saber pilotar motocicleta nunca foi uma exigência. Apesar de gostar de motos, minha experiência com elas se restringia a pouquíssimas vezes em que andei na garupa de alguma.

[interlinks]

Durante o evento sobre mobilidade urbana e harmonia no trânsito realizado pela Honda (leia mais, clicando aqui), pude pilotar pela primeira vez graças ao novo treinamento ministrado pela marca em seus CETHs. Nesse treinamento são usadas motocicletas equipadas com rodas de segurança laterais, algo muito semelhante àquelas usadas em bicicletas infantis.

Para você que sabe pilotar vai soar engraçado e vai lembrar suas primeiras vezes em duas rodas. Para quem nunca andou de moto, provavelmente será um estímulo para começar.

Com a moto ainda sobre um cavalete, recebi minhas primeiras instruções sobre os comandos e, com o motor ligado, pude acionar freios, acelerador, mudar marchas, dar seta e tudo mais. Nesse momento percebi que a prática e a habilidade com automóveis não seriam muito úteis, pois os comandos da moto são “dispersos” entre pedais, alavancas e manoplas, exigindo uso de mãos e pés de forma muito diferente (e mais difícil) que num automóvel.

Na sequência, com o motor desligado, empurrei a moto com o motor desligado por um curto percurso, com o objetivo de me familiarizar com seu peso e manuseio.

Por fim, chegou a hora de andar. A parte mais difícil do processo é você acreditar que as rodas estão lá e que você não vai cair. Uma vez criada uma relação de confiança com as tais rodinhas, o que não demora muito, você percebe que tem que se preocupar apenas em aprender a frear, acelerar e mudar as marchas, tudo sem se preocupar com a questão do equilíbrio. Desse momento em diante as coisas começam a se desenvolver mais rápido.

2D8A15731

Outra dificuldade típica de quem nunca andou de moto é treinar o olhar para fazer curvas. É preciso focar o ponto onde você quer chegar de uma maneira diferente do que fazemos num carro. Tendemos a virar a guidão para onde nossos olhos estão apontando, de forma que mirar o destino errado também vai fazê-lo virar errado.

Na sequência do treinamento você passa para uma scooter, com o objetivo de desenvolver o equilíbrio e, ao final, você pilota um CG sem rodinhas. Tudo acompanhado lado-a-lado por um instrutor especializado, com toda segurança, de uma maneira que o fará lembrar de seu pai lhe ensinando a andar de bicicleta quando criança.

O curso todo leva um dia e é ministrado nos centros educacionais da Honda. Para participar é necessário agendamento prévio.

 

CETH Indaiatuba/SP: ceth@honda.com.br
CETH Recife/PE: ceth_recife@honda.com.br
CETH Manau/AM: ceth@honda.com.br