Uma parte do Autopolis está na Europa para trazer algumas novidades exclusivas que em breve chegarão ao Brasil. A primeira avaliação foi feita na Itália e, como não poderia deixar de ser, escolhemos um ícone da industria automotiva italiana para começar.

Trata-se de um modelo já conhecido e muito popular entre os brasileiros, o Fiat 500. A unidade avaliada já traz a reestilização aplicada ao compacto em setembro de 2015. Sabe-se que o modelo chegará ao Brasil importado do México como já acontece atualmente e receberá algumas alterações locais, contudo, será basicamente o mesmo carro que você confere nesse matéria.

O que muda?

Como já diz o ditado, “em time que está ganhando, não se mexe”. Diante disso, a Fiat promoveu apenas pequenas atualizações estéticas na sua “piú piccola machina”. Se olhar rapidamente, mal conseguirá identificar as diferenças, apesar da marca italiana ter informado que foram feitas 1.800 modificações nesse “novo” 500. Na frente, temos uma atualização bem vinda nos faróis, que ganharam novos projetores e iluminação diurna em LED. Na grade inferior, existe um desenho um pouco diferente, mas com uma textura nova, sugerindo sofisticação ao “Cinque”.

Na traseira, o para-choques ganham novos vincos e nova barra cromada, mas a novidade mesmo fica por conta das lanternas, que são agora “vazadas”. Isso é, o formato continua o mesmo do modelo anterior, mas a iluminação está apenas no contorno e de forma tridimensiconal. No parte central, existe uma peça de plástico na cor do carro que acaba deixando o conjunto bem mais moderno.

Lateralmente, nada muda a não ser uma variedade de desenhos distintos para as rodas. Assim como o modelo atual, o novo Fiat 500 pode ser configurado de inúmeras maneiras, sejam elas de cores, adesivos ou rodas de liga-leve.

O modelo que testamos é a versão que, na Itália, recebe o nome de Lounge. O carro vem equipado com vidro e travas elétricas, ar-condicionado analógico, direção elétrica com função “City” – que deixa o volante ainda mais leve na hora de manobrar –, volante multifuncional, sistema multimídia UConnect com Bluetooth, entrada auxiliar e USB, além do painel com a mesma cor da carroceria.

Il Cuore

La machina” conta com um motor 1.2 movido à gasolina. Seus 69 cv de potência e 10,4 kgfm de torque a 3000 rpm são mais que suficientes para levar o 500 onde quiser. Mas o que mais impressiona nesse conjunto mecânico é a autonomia. Durante os mais de 600 km rodas pela Itália consumimos uma média de apenas 4,6 litros a cada 100 km (medida européia de consumo), algo em torno de 21,7 km/l. Não, essa não é uma versão ecológica, é apenas a versão com o motor mais “básico”. Esse é um grande diferencial em relação aos motores aqui na Europa. De acordo com as rigorosas leis da comunidade européia, as montadoras buscam sempre a maior eficiência em seus modelos. É uma regra geral para todas as montadoras.

Em Movimento

Um carro pequeno, um motor eficiente e as ótimas autoestradas italianas são a receita ideal para você rodar bastante. Ao contrário do que se pode imaginar, viajar por muitos quilometros com um 500, pode sim, ser muito interessante.

O carro roda leve e responde rápido na hora de uma ultrapassagem. O câmbio manual de cinco marchas tem engates precisos e supre toda a necessidade quando falamos em um carro “citadino”. Assim como o modelo anterior, o 500 é um carro ágil e fácil de manobrar, circulando bem mesmo no caótico trânsito de uma grande metrópole como Milão, seja durante os trajetos ou mesmo na hora de estacionar (isso se você tiver a sorte de encontrar um local em Milão para tal).

Mas, como nem tudo é perfeito, houve percalços pelo caminho. Em nosso percurso, rodamos pela montanhosa região da Ligúria, um dos mais conhecidos pontos turísticos dessa região e também patrimônio da humanidade pela UNESCO. Essa região da Riviera Ligure é conhecida como “Cinque Terre” (Cinco Terras) e é caracterizada por suas pequenas aldeias construídas nas montanhas, à beira mar. Bom, foi aí que pequeno 500 foi posto a prova num sobe e desce frenético, entre esses cinco pequenos vilarejos, ao longo da costa. Como era de se esperar, em subidas mais íngremes, o “piccolino” colocou a língua de fora e gritou um pouco. Como a região não requer velocidade, a dificuldade ali foi ter que usar a primeira e a segunda marchas com muita frequência. Mas, para quem está acostumado com os nossos carros 1.0, talvez não veja muita diferença. Por outro lado, mesmo forçando um pouco mais o pé no acelerador, as médias de consumos praticamente são as mesmas, o que mostra um harmonia mecânica, sem grandes oscilações, independentemente do trajeto.

Quando?

Sem muito a acrescentar, o novo Fiat 500 continua oferencendo agilidade, economia de combustivel e respondendo bem à sua proposta de ser um carro voltado especialmente para as cidades. A unidade avaliada custa cerca de 15.350 euros, algo em torno dos R$ 51.900. Segundo informações da Fiat, o modelo deve desembarcar no Brasil no meio deste ano. Além do novo design, ainda não existem informações sobre versões e conjuntos mecânicos, que serão importados. Sem dúvida, assim que o novo Fiat 500 chegar ao Brasil, será muito bem recebido.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Insira seu nome aqui