Mazda ainda não desistiu dos motores rotativos Wankel

Mazda RX-7

[interlinks]

Muitos acreditavam que a Mazda havia desistido dos motores rotativos em favor do uso dos propulsores de Ciclo Otto e de sua tecnologia SKYACTIV, contudo, a fabricante japonesa está acelerando o desenvolvimento de uma nova geração do Wenkel, prevista para chegar às ruas nos próximos anos. Ainda não se sabe em qual modelo será utilizado, mas é bem provável que seja no futuro RX-9. A segunda possibilidade seria utilizá-lo como um extensor de autonomia de modelos elétricos, algo semelhante ao que o BMW i3 faz com um motor de moto. A Mazda declara que cerca de 30 engenheiros trabalham no desenvolvimento de seu novo motor rotativo.

Não colou: segunda geração do Hyundai Veloster não será vendido na Europa

Hyundai Veloster 2016 chega aos EUA com câmbio de dupla embreagem A Hyundai apresentou a linha 2016 do Veloster nos Estados Unidos com uma importante novidade: transmissão automatizada de dupla embreagem com sete velocidades. A nossa transmissão veio acompanhada de modificações na grade frontal par a versão Turbo, sistema de vetorização de torque e diferencial de deslizamento limitado.

A Hyundai já trabalha para lançar a segunda geração do Veloster, que promete acabar com os maldosos apelidos como “Lentoster” e outros assemelhados que lhe são atribuídos. Entretanto, apesar da renovação total, a nova encarnação do cupê não será vendida na Europa, devido às vendas fracas no continente. Com isso, a marca coreana concentrará seus esforços em agradar ao gosto norte-americano, tanto no estilo, como na performance. No caso do Brasil, a CAOA deverá trazer o novo Veloster logo após seu lançamento mundial, contudo, equipado com um motor mais potente, vez que o 1.6 do modelo vendido aqui era alvo de críticas pelo seu baixo rendimento.

DS será a primeira francesa a voltar para os Estados Unidos

DS 4 Crossback

A ex-divisão de luxo da Citroën, a DS, está arrumando suas malas para atravessar o Atlântico. A PSA já planeja o lançamento de sua marca mais refinada nos Estados Unidos, encerrando o longo período em que as marcas francesas estiveram fora do mercado estadunidense. Por lá, a DS deverá adotar uma estratégia diferenciada, oferecendo, inicialmente, seus modelos maiores. O primeiro a desembarcar deverá ser o DS 5, seguido do sedã DS 5 LS e do SUV DS 6. O pequeno DS 3 ficará quase no fim da fila e assumirá o papel de enfrentar compactos como o Fiat 500. Outro modelo que deverá aportar nas terras do Tio Sam é o médio DS 4, em sua inédita versão aventureira Crossback.