Agora, quando você estiver na faixa da esquerda de uma via qualquer e um Volkswagen Up se aproximar pedindo passagem, puxe para a direita e observe a tampa traseira do modelo que vai ultrapassá-lo: provavelmente será preta e terá a identificação TSI do lado direito. Junto ao para-choque dianteiro mais bojudo, estas serão as diferenças estéticas mais marcantes do novo Up TSI, equipado com motor 1.0 tubocomprimido de 105 cv (etanol), em relação aos seus irmãos da linha. Com bom desempenho e baixo consumo, o preço, que parte de R$ 43.490, poderá ser o principal rival do Up TSI (veja tabela completa, ao final).

[interlinks]

Ao contrário do que possa parecer num primeiro momento, o TSI identifica uma opção de motorização, que estará disponível em todas as versões do Up, exceto a de entrada Take Up. Portanto, quando for à concessionária, vai encontrar Move Up TSI, High Up TSI, os “cromáticos” Red/White/Black Up TSI e, por fim, o Cross Up TSI, além do novo Speed Up. Tem para todos os gostos.

Novidade na linha, a versão Speed Up junta-se às demais trazendo visual exclusivo, inspirado na linhagem histórica que originou modelos como o Gol GT e GTI. O AUTOPOLIS preparou uma galeria exclusiva com os diferenciais da versão, que você confere clicando aqui.

Todos os Up TSI terão um lista de tens e série bem recheadas, que inclui ar-condicionado, direção elétrica, coluna de direção ajustável, sistema de som com CD-player, leitor de MP3, entradas USB e auxiliar e conexão Bluetooth, vidros dianteiros e travas elétricos e pneus que oferecem menor resistência ao rolamento, entre outros itens (veja lista de equipamentos completa no box abaixo do primeiro parágrafo).

high up! TSI (1)

Outra pegada

Se, visualmente, as diferenças se restringem a detalhes, o mesmo não pode ser dito da resposta ao pedal da direita. Com o novo propulsor 1.0 TSI Total Flex, da família EA211, o Up tem outra pegada, bem mais alegre e divertida. Falaremos em detalhes sobre o novo motor ao final, mas, por ora, vamos destacar que sua potência é de 101 cv com gasolina e 105 cv com etanol. O torque, com ambos os combustíveis, é de 16,8 mkgf, disponíveis já a partir de apenas 1.500 rpm.

Estes números, aliados às pequenas dimensões e o baixo peso do carro, fazem do Volkswagen Up TSI um verdadeiro “brinquedo de gente grande”. Segundo o fabricante, são 184 km/h de velocidade máxima e aceleração de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos.

A transmissão MQ200 manual de 5 marchas permanece praticamente inalterada, tendo sido modificada apenas a relação do diferencial, que foi alongada em 26%. Com essa mudança, o motor trabalha em rotações mais baixas, com consequente redução do atrito e do consumo de combustível, conceito que a marca chama de downspeeding. Em 5ª marcha, a 100 km/h, o motor se mantém girando a aproximadamente 2.300 rpm.

Freios e suspensão também foram alterados, para garantir maior segurança, considerando o melhor desempenho do modelo. Os amortecedores ganharam nova calibragem e os freios dianteiros possuem disco de 256 mm de diâmetro.

high up! TSI (2)

E ainda consome pouco

Ao lado do bom desempenho, a Volkswagen celebra o fato do Up TSI ter sido considerado o mais econômico entre todos os equipados com motor flexível avaliados no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do INMETRO, obtendo a classificação “A”.

Segundo o fabricante, são de até 13,8 km/l na cidade e 16,1 km/l na estrada, quando abastecido com gasolina. Com etanol no tanque, o Up TSI alcança as marcas de 9,6 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada.

red up! TSI (1)

Em movimento

O AUTOPOLIS teve a oportunidade de participar do teste de lançamento do Up TSI. Contudo, em breve teremos a avaliação completa do modelo, com impressões mais detalhadas.

Num primeiro momento, a principal mudança é mesmo o melhor desempenho. E como o Up ficou gostoso de dirigir com a nova motorização!

Embora esses 9,1 segundos para ir de 0 a 100 km/h, informados pela fábrica, pareça pouco estimulante, não se apegue a isso. O carro ganhou grande vivacidade, especialmente pelo bom torque de 16,8 mkgf surgindo logo a 1.500 rpm e se mantendo plano daí em diante. O resultado é um comportamento mais robusto, que exige menos mudanças de marcha.

Na estrada, a 100 km/h, o conta-giros realmente permanece abaixo dos 2.500 rpm mostrando que a alteração na relação do diferencial produziu efeito. Além de ajudar no consumo, as rotações mais baixas se comparadas com um 1.0 aspirado, ajudam a conter a gritaria do motor.

red up! TSI (2)

Tanto em ultrapassagens como em aclives é possível ganhar velocidade com segurança. Mesmo com quatro passageiros o desempenho é substancialmente mais convincente nessas condições.

Devido às peculiaridades do teste de lançamento, o consumo também não pôde ser melhor verificado. Faremos isso na avaliação completa, que será feita na próxima semana.

Podemos dizer que o novo motor turbo trouxe esportividade, sem, contudo, fazer do Up um esportivo, em que pese as pretensões visuais do Speed Up. Maiores detalhes sobre o desempenho do Volkswagen Up TSI você em alguns dias, com o teste cuidadoso do modelo que recebemos para avaliação.

red up! TSI (5)

Novo motor: concebido para ser turbo

O novo propulsor, não é derivado do antigo, com um cilindro a menos, tampouco uma versão turbinada do 1.0 que equipa as versões mais pacatas do Up e o Fox Bluemotion. É importante deixar bem claro isso: o 1.0 TSI, da família EA211, é um motor novo e concebido para funcionar com injeção direta e turbocompressor.

“Mas o que mudou?”, perguntará o intrépido leitor. Quase tudo: virabrequim, bielas, pistões, cabeçote, sistema de arrefecimento e lubrificação, distribuição com variação de fase na admissão e escapamento, além, logicamente, da introdução do turbo, do intercooler e da injeção direta de combustível. O virabrequim é feito em ferro forjado, enquanto no aspirado é ferro fundido, as bielas são mais curtas e parrudas, ao passo que os pistões são mais altos e encorpados. O sistema de lubrificação utiliza mais óleo, que é resfriado por um trocador de calor acoplado ao bloco, e incorpora um defletor no cárter para impedir o contato direto do lubrificante com o virabrequim. O arrefecimento possui três circuitos independentes, um para o bloco, outro para o cabeçote e um terceiro para o turbocompressor.

EA211_R3_TSI

O turbo é bastante compacto e trabalha com pressão de 250 bar. Um intercooler ligado ao próprio coletor resfria o ar antes de ser enviado aos cilindros. Os comandos de válvulas são continuamente variáveis na admissão e escapamento, ao contrário de apenas na admissão, como acontece com outros motores.  Para fechar o pacote, o sistema de injeção direta se encarrega de despejar, com total precisão, o combustível na câmara de combustão. Além disso, dispensa qualquer mecanismo de partida a frio quando abastecido com etanol. Um capricho de engenharia é a usinagem da rosca das velas, feitas para que os eletrodos fiquem sempre na mesma posição após serem apertadas. Outro item que é uma exclusividade no segmento é o sensor de etanol, posicionado antes da bomba de alta pressão, que identifica o combustível que vai ser queimado.

Definitivamente, o velho motor turbo que equipou o Gol, virou história.

Preços e versões

Volkswagen Move Up R$ 43.490
Volkswagen High Up R$ 48.040
Volkswagen Red/White/Black Up R$ 48.690
Volkswagen Cross Up R$ 47.030
Volkswagen Speed Up R$ 49.990

 

A convite a da Volkswagen do Brasil.