A Renault apresentou a nova família de motores SCe, composta por um 1.0 de três cilindros e um 1.6 de quatro. O projeto dos novos propulsores foi norteado pela eficiência energética, entregando mais potência, com redução média de 16% e 21% no consumo de combustível. Os preços do Sandero e do Logan equipados com as novas unidades motrizes partem de, R$ 42.400 e R$ 46.300, respectivamente.

[interlinks]

» Faça download das fichas técnicas (formato XLS)

Essa combinação de maior desempenho com menor gasto combustível é resultado da implementação de um conjunto de tecnologias, algumas das quais inéditas entre os modelos da marca no país. A lista inclui o duplo comando de válvulas variável acionado por corrente metálica, bloco do motor e tampa de válvulas em alumínio, bomba de óleo de vazão variável e óleo de baixa viscosidade, sistema de regeneração de energia nas desacelerações (ESM), polias, tuchos e anéis do pistão revestido em DLC (material de alta resistência e durabilidade originário das competições), virabrequim é forjado e emprego de sistema de direção eletro-hidráulica.

Outras tecnologias são específicas de cada propulsor. Então, além dos itens acima, o 1.0 SCe traz também coletor de admissão é integrado ao cabeçote e há um dispositivo resfriador para o óleo. O 1.6 SCe agrega ainda pré-carter também é em alumínio, os injetores de combustível posicionados diretamente no cabeçote, catalisador integrado ao coletor de escapamento, bielas forjadas, correia de acessórios do tipo elástica, duplo comando de válvulas variável na admissão, pneus do tipo “verdes” (com menor resistência à rolagem) e sistema “stop/start” de série.

O câmbio automatizado “Easy R” recebeu nova calibração e integra também controle de estabilidade e assistente de arrancada em subida. Por R$ 3.350, é opcional exclusivo do motor 1.6 SCe.

Como, no mundo, nada é perfeito, a Renault decidiu manter o já anacrônico tanquinho de gasolina para partida a frio, alegando que se trata de um dispositivo com o qual os consumidores já estão habituados.

sandero-sce_007

Tecnologia em números

O resultado de todo esse trabalho de engenharia é que o novo tricilíndrico de 1,0 litro gera 79/82 cv (gasolina/etanol) de potência a 6.300 rpm, com torque de 10,2/10,5 kgfm a 3500 rpm. Segundo dados do fabricante, comparados com o motor antigo, a redução de consumo foi de 19% no Sandero e 16% no Logan.

O 1.6 SCe gera 118/120 cv de potência a 5.500 rpm, com torque de 16,2 kgfm a 4.000 rpm. O ganho de potência foi de 7,3% com gasolina e 4,3% com etanol. O torque é 7,3% maior com gasolina e 1,9% com etanol.

sandero-sce_005

Como anda o Sandero 1.0 SCe

Durante o evento de lançamento dos novos propulsores SCe, que aconteceu na cidade de Curitiba (PR), o AUTOPOLIS avaliou uma unidade do Sandero equipada com motor 1.0 (não havia unidades 1.6 disponíveis).

Num trajeto predominantemente urbano, com alguns trechos por vias expressas de maior velocidade, a melhora no desempenho foi nítida. O carro ganhou em agilidade, ficando muito mais esperto especialmente no trânsito. A maior performance é notada principalmente nas arrancadas e retomadas. O motivo dessa percepção é que 90% do torque já está disponível a 2.000 rpm, o que dá mais elasticidade e uma maior faixa de aproveitamento da potência do motor.

Em números exatos, fornecidos pelo fabricante, o Logan 1.6 SCe abastecido com etanol acelera de 0 a 100 km/h em 9,8 segundos e de 80 a 120 km/h em 9,5 segundos (melhora de 16% nas retomadas). O Sandero 1.0 SCe, também com combustível vegetal, faz 0 a 100 km/h em 13 segundos e 80 a 120 km/h em 14,1 segundos.

O ronco do motor ficou mais grave, fazendo parecer que, em alguns momentos, é mais alto que o gerado pelo antigo. Embora os motores de três cilindros costumem vibrar mais que os de quatro, no caso do 1.0 SCe essas vibrações são quase imperceptíveis, proporcionando um funcionamento suave e agradável.

De uma forma geral, o carro ficou mais gostoso de dirigir, tanto pelas melhores respostas ao pisar do acelerador, como pela menor necessidade de fazer reduções para manter o motor numa faixa de giro ideal.

sandero-sce_011

No mercado

Os preços, que tiveram um reajuste médio de R$ 600, fazem com que o Sandero Authentique tenha peço inicial de R$42,4 mil e o Logan Authentique parta de R$ 46,3 mil. São valores compatíveis com o que é cobrado pela concorrência, considerando que o Fox Trendline 1.0 não sai por menos de R$ 46.390 e o Chevrolet Onix não fica abaixo de R$ 44.890, para citar dois adversários mais fortes dos franceses.

Lista de versões e preços

Renault Sandero Authentique 1.0 SCe – R$ 42.400,00
Renault Sandero Expression 1.0 SCe – R$ 44.950,00
Renault Sandero Vibe 1.0 SCe – R$ 47.100,00 (leia mais sobre a versão)
Renault Sandero Expression 1.6 SCe – R$ 49.770,00
Renault Sandero Dynamique 1.6 SCe – R$ 53.500,00
Renault Sandero GT Line 1.6 SCe – R$ 54.670,00
Renault Sandero Stepway 1.6 SCe – R$ 59.720,00

Renault Logan Authentique 1.0 SCe – R$ 46.300,00
Renault Logan Expression 1.0 SCe – R$ 48.200,00
Renault Logan Expression 1.6 SCe – R$ 52.750,00
Renault Logan Dynamique 1.6 SCe – R$ 56.400,00