A versão de entrada da Fiat Toro, a Freedom equipada com motor 1.8 flex, não chega a decepcionar em desempenho. Ao contrário, os 139 cv (etanol) do propulsor bicombustível proporcionam performance competente, apesar dos 1619 kg do carro. Contudo, para atender àqueles que desejam ainda mais potência, com respostas mais ágeis e emocionantes, a marca italiana está apresentando o novo propulsor 2.4 Tigershark Multiair Flex, que gera até 186 cv quando abastecido com etanol. Sem mudanças visuais ou de acabamento, model0 chega aos concessionários por R$ 98.730.

[interlinks]

Derivado de uma nova família de motores globais da FCA, o Tigershark Multiair flex de 2,4 litros, incorpora tecnologias que reforçam a eficiência energética e o baixo consumo.

O propulsor traz a nova geração do sistema Multiair, com abertura das válvulas em cinco modos diferentes, permitindo a máxima eficiência em condições de potência máxima, em que se exige mais torque em baixas rotações, nas cargas e rotações baixas e parcial, além de marcha lenta ou partida a frio.

O sistema que gerencia o carregamento da bateria, chamado Smart Charger, faz com que a carga ocorra apenas em condições ideais, como nas frenagens, com o objetivo de reduzir o consumo e favorecer o desempenho.

fiat_toro_freedom_2-4_012

O novo propulsor também emprega de pistões de pino flutuante, com peso e atrito reduzidos, além de bloco feito em alumínio, que atinge a temperatura ideal de funcionamento mais rapidamente. O sistema de partida a frio dispensa o tanquinho adicional de gasolina.

Sem mudanças visuais e de acabamento em relação à Freedom 1.8, a lista de equipamentos de série da versão 2.4 inclui alarme, break light, capota marítima, retrovisor elétrico com tilt-down, rebatimento e luz de conforto, além do volante revestido em couro que incorpora os seletores de marcha (“borboleta”).

fiat_toro_freedom_2-4_005

Em movimento

Logo no início do trajeto entre São Paulo e Cabreúva – interior do Estado -, ainda no caótico trânsito da capital, pudemos perceber que a nova integrante da família Toro responde em outro nível ao pisar do acelerador.

Pudera, tanto em potência quanto em torque, o salto foi grande em relação ao motor 1.8. São 174 cv com gasolina e 186 cv com etanol, enquanto o binário é de 23,5 kgfm com gasolina e 24,9 kgfm com etanol, sendo que 91% da força já está disponível a 2.000 rpm. Realmente, nada mal.

O câmbio de 9 marchas, assim como nas versões a diesel, tem funcionamento preciso e discreto. Há opção de mudanças manuais, mas seguindo a regra de não atender a tudo que o motorista seleciona na borboleta: se reduzir ou avançar as marchas em situações que o sistema considera inadequado, o comando para a troca é simplesmente ignorado.

fiat_toro_freedom_2-4_014

É nas arrancadas e retomadas que o novo motor mostra seu valor. Pise fundo e o conta-giros vai próximo aos 6 mil giros antes de mudar de macha, o velocímetro sobre rápido e, basta uma distração, já passou dos 140 km/h. As reações ficam ainda melhores com a tecla Sport acionada. As marchas inferiores são mantidas por mais tempo e o giro permanece alto, deixando tudo pronto para acelerar.

Na cidade, duas características se destacam. A primeira é atuação eficiente do start-stop, que a cada parada desliga o motor, ajudando na redução do consumo e emissões. A segunda é a forma suave como a potência é entregue em situações de trânsito pesado. No acelera e freia dos engarrafamentos, não há solavancos nem reações bruscas, embora a potência esteja toda lá disponível para quando for necessária.

Os freios se mostraram muito eficientes, parando o carro rapidamente e de forma muito equilibrada. Mesmo em frenagens mais fortes, o comportamento é muito semelhante ao do um sedã ou hatch, sem desvios de trajetória ou balanços indesejáveis.

fiat_toro_freedom_2-4_100

Conclusão

A nova Fiat Toro Freedom 2.4 flex, tem ótimo desempenho, é um carro bom de dirigir e muito equilibrado. Para quem esperava uma Toro flex com respostas mais vigorosas, não terá do que reclamar da nova versão.

A Fiat espera que nova motorização represente 20% das vendas totais, sendo o restante distribuído entre a 1.8 (30%) e a diesel (50%). Com uma gama ainda mais completa, a Fiat Toro deverá reforçar sua liderança no segmento e vice-liderança no mercado de comerciais leves em 2016. O preço abaixo dos R$ 100 mil (R$ 98.730), é compatível com o que vem sendo praticado no segmento.

De Cabreúva (SP), a convite da FCA – Fiat Chrysler Automóveis Brasil