A Fiat reuniu a imprensa especializada para um test-drive de aproximadamente 60 quilômetros com o Mobi Way. Boa parte do percurso passou por trilhas de terra batida, com alguns trechos mais acidentados, para mostrar que a versão aventureira do subcompacto italiano não tem medo de poeira. O visual, contudo, é seu maior apelo.

[interlinks]

Em muitos aspectos, o pequeno realmente surpreendeu no trajeto, mostrando boa capacidade de transpor pisos erodidos com rodar macio e baixo nível de ruídos. Além do bom isolamento acústico da cabine, não a há rangidos provenientes de peças ou dos revestimentos internos.

Para alcançar tais resultados, a Fiat não apenas elevou o carro 15 mm, como promoveu uma série de outros ajustes na suspensão, recalibrando amortecedores e molas, adotando uma barra estabilizadora de 18 mm e um novo coxim hidráulico do motor. Os pneus na medida 175/65 R14 são do tipo “verdes”, com baixa resistência a rolagem.

Isso, contudo, não transformou o pequeno Mobi num off road. Tenha sempre em mente que o propósito do carro nem é esse. É um típico urbano que encara uma esticadinha até a chácara onde vai rolar o churrasco da turma no fim de semana.

Sob o capô, nada diferente das demais versões da gama. Segue o Fire 1.0 flex de quatro cilindros, que gera 75 cv de potência e torque de 9,9 kgfm quando abastecido com etanol, que proporciona desempenho compatível com um propulsor de baixa cilindrada. O câmbio manual de 5 marchas é bem escalonado, mas a alavanca tem um funcionamento meio “folgado”, fazendo parecer que os engates são um tanto imprecisos.

FIAT_MOBI_WAYON_029

Chamando atenção

O principal apelo do Mobi Way é mesmo o visual, que agrega molduras plásticas laterais e no contorno dos para-lamas, barras longitudinais no teto e para-choques mais parrudos, além, claro, do efeito estético provocado pelas suspensões elevadas.

O desenho agrada a muitos e desagrada outros, mas é inegável que o pequeno Fiat tem personalidade e se destaca no trânsito. Não só por ser uma novidade, mas por seu design característico, o Mobi atrai olhares por onde passa.

Pequeno, mas bem equipadinho

Como todo carro tipicamente urbano, o Mobi Way não é um latifúndio para seus ocupantes. Leva bem dois adultos na frente, uma ou duas crianças atrás e uma pequena bagagem. É um carro para trafegar na cidade ou fazer viagens curtas.

A lista de equipamentos de série, por outro lado, é generosa, incluindo ar-condicionado, direção hidráulica, air bag duplo e freios ABS com EBD, volante com regulagem de altura, banco do motorista com regulagem de altura, vidros e travas elétricas, computador de bordo, chave telecomando para abertura e fechamento das portas, limpador e desembaçador traseiro, cintos de segurança dianteiros ajustáveis em altura, espelho no para-sol (motorista e passageiro), revestimento completo do porta-malas, entre outros. Opcionalmente, pode vir equipada com sistema multimídia Connect.

FIAT_MOBI_WAYON_ESTUDIO_013

A versão Way On traz ainda rodas de liga leve de 14 polegadas com desenho próprio, faróis de neblina, retrovisores externos elétricos com função tilt-down e repetidores de seta, sensor de estacionamento, volante multifuncional e sistema multimídia Connect e mais alguns outros mimos.

O Mobi Way tem preço inicial de R$ 39.300, podendo chegar a R$ 45.850 com todos so opcionais. A versão Way On, topo de gama, custa R$ 43.800. Seu principal rival, o Volkswagen Cross Up, com nível de equipamentos semelhantes, custa entre R$ 47.690 e R$ 50.180