Em 2015, a segunda geração do Ford EcoSport completará três anos de vida no Brasil, tempo comumente demarcado por uma reestilização de meia-vida. Comercializado globalmente, o jipinho da Ford vem alcançando um bom número de vendas, em especial no mercado nacional, onde se mantém como líder do seu segmento. Para se manter forte perante a nova leva de concorrentes e à reestilização do Renault Duster, seu principal rival, perguntamos: e se a versão reestilizada do jipinho da Ford adotasse um visual inspirado no SUV americano Explorer?

– Siga o AUTOPOLIS no Facebook
– Leia mais notícias sobre a Ford

O nosso exercício de imaginação começa com a frente do EcoSport. Do primo maior viria grande parte do desenho da dianteira. A grade frontal se mantém interligada aos faróis, porém ganharia volume: ficaria mais larga, alta e contaria com filetes cromados na parte interna. Os faróis passariam a ser de dupla parábola, mantendo os LEDs. No para-choque, o falso quebra-mato teria destaque e seguiria emoldurado por uma entrada de ar. As luzes de neblina seriam realocadas em posição mais alta e acompanhariam o desenho da caixa de roda.

Ford EcoSport [2]

Na traseira, pequenas novidades dariam um ar de novidade ao EcoSport. As lanternas manteriam o mesmo formato, porém passariam a contar com LEDs, numa solução semelhante à adotada no Mondeo, o irmão quase gêmeo do Fusion vendido no Brasil. A parte interna da lanterna se tornaria funcional, abrigando, além das luzes de freio e posição, a iluminação para a ré. A boa solução para a abertura da tampa do porta-malas pela lanterna seria mantida, porém o botão ficaria na parte interna. O para-choque ganharia um aplique cinza claro na versão Titanium ou cinza escuro na Freestyle.

E já que a ideia é brincar com a imaginação, caso esta reestilização fosse aplicada ela poderia trazer junto os novos motores Ecoboost que a Ford já desenvolve para o Brasil, com destaque principal para a versão 1.0 de 125 cv já usada no EcoSport na Europa.