Não há nenhum outro carro na indústria automotiva que tenha tantos irmãos de outras mães como o Lotus Elise. O cupê esportivo da Lotus já deu origem há muitos modelos com propostas totalmente distintas. Isso não é tão incomum, vide o recente lançamento da Renault Alaskan, derivada da Nissan Frontier, e que ainda dará origem à Mercedes-Benz GLT.

[interlinks]

Mas o Lotus é campeão neste quesito, por isso, selecionamos cinco carros que nasceram como um Elise.

Opel Speedster

O primeiro a surgir como derivado do Elise foi o Opel Speedster (ou se for britânico, Vauxhall VX200). Por conta das regras mais rígidas para crash-test na Europa em vigor nos anos 2000, a Lotus precisava desenvolver rapidamente uma nova geração para o Elise. Por isso, pediu ajuda à General Motors que topou a empreitada, desde que também tivesse seu esportivo. O Speedster durou de 2000 a 2005 e ficou famoso por seu motor 2.0 turbo de 200 cv.

Lotus Europa S

Antes que me critique por colocar um carro da própria Lotus na lista, entenda que o Europa é totalmente diferente do Elise em sua proposta. Conforto ao rodar e no interior, além de porta-malas com espaço descente, eram suas diferenças em relação ao original. Enquanto o Elise continua firme e forte, o Europa ficou em linha até 2010, durando apenas quatro anos. Ainda havia o modelo SE com dose extra de luxo, hoje bastante raro.

Tesla Roadster

Se você é fã da Tesla, agradeça ao Lotus Elise. A fabricante de carros elétricos surgiu apenas por conta deste conversível. O Roadster financiou toda a base da Tesla e também o projeto do sedã Model S. Lançado em 2008 e descontinuado em 2012, ele passou por diversas melhorias mecânicas ao longo de sua vida. Seu grande feito foi ter sido o primeiro carro totalmente elétrico a ter autonomia superior a 320 km. O visual pouco denunciava que ele era um Elise.

Hennessey Venom GT

O carro mais rápido do mundo é um Lotus Elise, ou quase isso. A Hennessey toma como base um Lotus Exige – versão endiabrada do Elise com visual levemente modificado – deixa sua carroceria mais rígida, longa e larga para abrigar o motor 7.0 V8 biturbo de 1200 cv. Resultado:  0 a 300 km/h em 13,63 segundos, praticamente o mesmo tempo que uma Fiat Toro Flex demora para chegar à um terço desta velocidade.

Detroit Electric SP:01

Se a Tesla surgiu como um elétrico derivado do Elise, por que não repetir a fórmula para desenterrar uma marca? Seguindo esta ideia, a Detroit Electric voltou do limbo com o SP:01, um esportivo elétrico com autonomia para 290 km (menos que o Tesla Roadster) e potência na casa dos 200 cv. A produção limitada a 999 unidades apenas. Apesar da traseira reta totalmente diferente e do para-choque futurista, os faróis de Elise denunciam sua origem.