Depois de reinventar o Volkswagen Parati (veja aqui), em 2015 fizemos uma projeção de como seria um Chevrolet Prisma SW (confira aqui). Naquela época, imaginamos uma perua, digamos, convencional. Agora, retornamos ao tema e propomos uma perua muito mais apimentada e divertida a partir do Prisma, integrando a família Onix.

Antes de continuar com nosso exercício de design, vale lembrar que o Chevette e o Corsa, antecessores do Onix, tiveram suas versões perua. A Marajó, derivada do Chevette, foi produzida entre 1980 e 1989. Tinha sua origem no Opel Kadett Caravan de terceira geração, chamado Kadett C (foto abaixo).

O Chevrolet Marajó nasceu na Europa ainda nos anos 1970 e tinha essa cara de Chevette “Tubarão” (Wikipédia/Reprodução)

Com a chegada do Corsa e aposentadoria do Chevette, em 1997 começou a ser produzida o Corsa Wagon, que durou apenas cinco anos, sendo descontinuada em 2002 e substituida pela Meriva. De lá pra cá, nada de peruas compactas na Chevrolet.

O Onix, como se sabe, não tem e nem terá versão perua. Mas não custa sonhar, né?! Pois pusemos a mão ma massa e fomos mais longe fazendo uma nova proposta de perua para o Chevrolet Prisma. Só que, agora, com muuuito mais sal e pimenta.

Desta vez fizemos uma perua Prisma com um estilo que está se tornando tendência mundial, o shooting break. O termo shooting brake foi originalmente criado na Inglaterra do Século 19 para denominar um tipo específico de carruagem usada para transporte de equipamentos de caça, sendo, portanto, anterior ao próprio automóvel. Posteriormente, o termo foi usado para denominar peruas customizadas e, em alguns casos, tornou-se sinônimo de perua de forma genérica. Mais recentemente, o termo foi revivido com sucesso pela Mercedes-Benz, com o classe CLS Shooting Brake.

Vale destacar mais uma vez que as imagens que se seguem são apenas um exercício de imaginação, sem qualquer ligação com a realidade. Assim sendo, com liberdade para criar, adotamos na nova projeção de perua para o Chevrolet Prisma as características essenciais do conceito shooting break, que são o teto caído e a linha de cintura decrescente em sua porção final.

Na traseira, foram adotadas lanternas no mesmo estilo do restante da linha Onix, só que mais afiladas e um pouco mais baixa em relação ao sedã Prisma.

Na dianteira, optamos por manter exatamente o mesmo desenho do sedã, para que não saísse do estilo da família a que pertence.

Durante a criação e elaboração das imagens, alguns alguns amigos davam seus pitacos e, no meio de uma dessas discussões, surgiu a ideia de uma versão ainda mais esportiva, explorando ao extremo o conceito shooting break.

Na mesma onda de usar a Mercedes-Benz como fonte de inspiração, recorremos a algumas soluções customizadas da versão estate do Classe C AMG S63. Utilizamos as mesmas rodas – ao bom estilo “euro look” – e alguns detalhes nos para-choques dianteiros e traseiros, além da saia lateral semelhante ao modelo alemão.

O destaque fica na dianteira que recebe faróis diferenciados, mantendo o mesmo formato do Prisma, mas com elementos internos do Chevrolet Cruze RS, norte-americano. Ainda em cima dessa mesma inspiração, resolvemos batizar essa versão esportiva de RS, seguindo as novas nomenclaturas da Chevrolet nos Estados Unidos e no mundo.

E, ao final, chegamos ao Chevrolet Prisma RS Shooting Brake!

E aí? Curtiu? Então deixe seus comentários e compartilhe entre seus amigos no Facebook.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário
Insira seu nome aqui