Obrigatórios desde o início de 2014, freios ABS e airbags passaram a fazer parte do cotidiano dos proprietários de automóveis no Brasil. Da mesma forma, motores turbinados de fábrica são cada vez mais comuns, sendo uma forma que as fabricantes encontraram de extrair mais desempenho de propulsores menores e, ainda assim, melhorar o consumo de combustível.

Siga o AUTOPOLIS no Facebook
Leia mais notícias de serviços

Por serem relativamente recentes, esses assunto ainda geram dúvidas entre os donos e entusiastas dos automóveis. Entre eles está o leitor Eudson Ferreira, de Contagem (MG). Vamos então às respostas, dadas pelo engenheiro Francisco Satkunas, da SAE Brasil. Caso você tenha alguma dúvida técnica ou relacionada a carros, mande um e-mail para autopolis.responde@gmail.com que nós a responderemos.

Agora que são itens obrigatórios, é preciso fazer alguma manutenção específica para freios ABS e airbags? No caso das bolsas, há um prazo de validade?

Satkunas afirma que não há nenhum tipo de manutenção específica para os airbags. “Eventualmente, se a luz de advertência do equipamento ficar acesa no painel, a recomendação é que se vá ao concessionário da marca ou a uma oficina que possua equipamento de diagnóstico para verificar a causa e resolver o problema”, diz. O engenheiro também salienta que apenas especialistas no equipamento façam esse tipo de análise. “Como o conjunto possui um elemento pirotécnico para o enchimento da bolsa em caso de colisão, recomenda-se que apenas gente especializada cuide desse sistema.” Fabricantes de airbags afirmam que o equipamento tem vida útil de 10 a 15 anos, quando não mais.

airbags

Já no caso dos freios ABS, a manutenção segue a programação normal do sistema de freios. “O ABS depende do bom estado das pastilhas de freio. Para segurança do motorista e passageiros as pastilhas devem ser trocadas quando estiverem desgastadas e igualmente verificada a condição dos discos de freios que podem ser retificados na grande maioria dos casos. O conjunto do ABS não requer nenhuma outra manutenção especifica”, diz.

Quais as diferenças entre um motor de aspiração natural e um turbo? Há algum cuidado adicional na manutenção desses propulsores?

A diferença entre os dois motores se dá, basicamente, pela forma com que o ar é admitido nas câmaras de compressão, onde ele é misturado com o combustível e ocorre a queima. “Nos motores de aspiração normal, a entrada de ar é comandada pelo movimento alternativo dos pistões, que funcionam em sincronia com as válvulas movidas pelo eixo comando. O movimento descendente dos pistões faz o ar ser sugado para dentro das câmaras”, explica Satkunas.

Nesse caso, a restrição do filtro de ar e a passagem pela tubulação de admissão faz com que haja perdas de parte do ar, o que é compensado pela calibração do sistema de injeção de combustível, de forma a se obter o melhor rendimento para cada rotação. Quando há duplo eixo comando e quatro válvulas por cilindro, há maior eficiência quando mais ar é requerido nas câmaras. Essa é a razão pela qual motores multiválvulas tendem a ser mais eficazes em altas rotações.

turbo-garret

Já quando há o turbo, esse componente aproveita a pressão dos gases de escape para girar uma turbina, que chega a atingir até 100 mil rotações por minuto. “Esse turbina é ligada a uma outra que comprime o ar atmosférico e o direciona para as câmaras de combustão. Com a injeção calibrada para trabalhar com uma massa maior de ar, há uma explosão amplificada dentro das câmaras de combustão, o que gera maior torque e potência”, conta.

Satkunas salienta que, quando o motor possui turbo de fábrica, todos os componentes já são dimensionados para aguentar o esforço extra. “O mesmo não ocorre quando se adapta turbinas em carros que não têm o equipamento de série. Nesse caso, os motores não foram feitos para aguentar essas pressões e, caso não haja modificações mais extensas, o desgaste prematuro é inevitável”. Já nos veículos que contam com o turbo de fábrica, não há necessidade de manutenção específica, bastando apenas seguir o especificado no manual do veículo.